Investimentos no Agronegócio | Análises para ganhar mais

investimentos no agronegócio

IMA (Incremento Médio Anual), DAP (Diâmetro à Altura do Peito), ATR (Açúcar Total Recuperável), … Se você trabalha com negócios florestal ou agrícola, siglas como essas sem dúvida fazem parte do seu dia a dia: são importantes métricas da produtividade do seu cultivo. Talvez menos familiares são os termos VPL (Valor Presente Líquido), TIR (Taxa Interna de Retorno) e WACC (weighted average cost of capital), que servem para medir o desempenho econômico do negócio e são igualmente importantes – afinal, quem planta, planta para ganhar dinheiro.

Afinal, quem planta, planta para ganhar dinheiro.

Ferramentas de análise para além das finanças

Mesmo que você não pretenda se tornar um especialista em finanças do agronegócio (uma pena, existem poucos no mercado!), o conhecimento de ferramentas de análise financeira certamente terá um impacto positivo profundo na forma como você enxerga e toma decisões nos seus negócios.

E isso se aplica além das situações explicitamente financeiras, alcançando também aquelas que tenderíamos a considerar “puramente operacionais”, tais como:  vale a pena investir em um novo equipamento para aumentar a velocidade da colheita? Compensa gastar mais em adubação hoje, para colher mais metros cúbicos daqui a sete anos? É hora de recepar um cafezal antigo que está perdendo produtividade? Quando é melhor reformar ou conduzir a rebrota uma floresta?

 

Tome decisões mais racionais e precisas em suas operações

Em todos esses casos, inegavelmente, existem premissas econômicas implícitas. Veja o último por exemplo: ao reformar uma floresta você está trocando um investimento agora (replantio) pela expectativa de uma maior produtividade no futuro. Para que esse investimento traga retorno, isto é, crie valor, é preciso considerar não só a diferença de produtividade esperada, mas também as projeções de preço futuro de madeira, a diferença de desembolso de capital e o custo desse capital (os juros que você pagará pelo financiamento e/ou o quanto você está deixando de ganhar, caso tivesse aplicado esse recurso no mercado financeiro).

Em suma, o valor de uma empresa vem das interações entre três fatores: o fluxo de caixa (ex.: receita de venda de madeira), o capital empregado (o investimento na reforma da floresta) e o custo de capital (serviço da dívida e custo de oportunidade do capital próprio).

Todo investidor é um tomador de risco por definição, e a análise econômico-financeira não visa só eliminar o papel da intuição e da experiência prática dos produtores, bem como dar maior disciplina e poder de previsão ao processo de tomada de decisão, tornando-o mais racional e preciso, integrando os melhores conhecimentos dos especialistas em áreas diversas (mercados, logística, agronomia) em um conjunto coerente de premissas.

O que mudou foi o próprio perfil do produtor rural, ou melhor, do empreendedor do agronegócio.

É preciso acompanhar o passo das mudanças

Outro dia, deparei-me com uma edição antiga de uma tradicional revista sobre agricultura que trazia temas como: a melhor nutrição desse ou daquele zebuíno e dicas sobre a safrinha do milho. A mesma revista, em contraste, traria na capa hoje temas como Contratos Futuros, Nível Ótimo de hedge de moedas ou o uso de variedades geneticamente modificadas com colheita precoce. Decerto, não foi a publicação que mudou, o que mudou foi o próprio perfil do produtor rural, ou melhor, do empreendedor do agronegócio.

Nas últimas décadas, assistimos à fascinante transformação do Brasil em potência agrícola, integrada à complexa cadeias globais de produção e abastecimento de alimentos e outras commodities. O sucesso nesse setor, cada vez mais, dependerá de profissionais com perfil diferenciado, capazes de integrar uma ampla gama de conhecimentos técnicos, financeiros e estratégicos, que estejam a par das novidades e tendências. Você está preparado para essa nova dinâmica do mercado?

 

Tenha acesso a mais conteúdos em nossa página para ficar próximo das inovações e manter-se atualizado.

Quer se estudar mais sobre esse tema e participar da seleta parcela de profissionais que se diferencia no mercado? Conheça o curso Planejamento Estratégico no Agronegócio oferecido exclusivamente pela Forest Class.

 

 

Comentários

  • […] a gestão resulta em redução de custos, permite uma análise mais assertivas dos dados, provê insumos estratégicos na hora da tomada de decisão, o que faz, por fim, aumentar a competitividade da empresa no […]

  • Getulio Bramusse junior
    9 de fevereiro de 2019

    Queri receber informacoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

 

Forest Class Network Courses
[email protected](67) 99252-4404
Rua Sagitária, 59 – Campo Grande
Mato Grosso do Sul, Brasil